Quer comprar uma TV 4K? Veja como escolher a sua

0
2414

A imensa maioria dos brasileiros ainda não resolveu trocar alguma de suas TVs de casa Full HD por uma 4K. Os motivos? Muitos, desde o preço elevado até a crise financeira que chegou bem na hora da transição de tecnologias.

Mas além das questões financeiras, outras implicam: será que já existe conteúdo 4K que justifique a compra de uma TV Ultra HD? A resposta imediata é não, ao menos que você seja um entusiasta de tecnologia, que queira sempre ter o equipamento mais avançado e baixe muito conteúdo em outra línguas para ver na TV.

Não deixe de conferir: 7 erros fatais na hora de comprar um TV nova

Porém, caso você precise comprar uma nova TV, não faz sentido algum comprar algo defasado, até porque os preços de uma ótima TV Full HD esbarram ou até ultrapassam os de TV 4K intermediárias, que podem oferecer recursos mais promissores. Confira abaixo o que você precisa observar na hora de escolher sua nova TV 4K.

tv 4k vale a pena
Tecnologia OLED ainda é cara, mas garante belos televisores e tons de preto perfeitos.

Tecnologia que nasceu defasada e a falta do VP9

Mesmo sendo pautada na quantidade de pixels que formam a imagem na tela da TV, o 4K foi além disso e frustrou aqueles que foram logo comprando as TVs em seu lançamento, há pelo menos 3 anos.

O principal motivo foi a ausência de um Codec muito importante chamado VP9. Para quem não sabe o que é Codec, uma breve explicação: eles são recursos de software que trabalham na compactação de imagens e sons, dos conteúdo principalmente transmitidos por streaming na internet.

O VP9 em especial foi lançado depois do lançamento das primeiras TVs 4K e ele é usado por ninguém menos do que o Youtube para reproduzir conteúdo 4K! Outro serviço parecido, o Netflix, não usa o VP9 e sim o H.265 bem mais comum nos modelos antigos.

Notem o problema: uma das maiores fontes de conteúdo 4K hoje é o próprio Youtube, com documentários e até filmes completos nessa resolução, e aqueles que não tem uma TV compatível com o VP9 não conseguem assistir!

Como será a TV do futuro? o eXorbeo especula sobre o assunto aqui

Outra tecnologia que chegou depois, o HDR

Não tão essencial quanto o VP9 mas também muito relevante em 2016, é o chamado HDR. A tecnologia não é nova, já existe em câmeras de alta nível há anos, mas chegou apenas agora nas TVs 4K.

Ela garante um sistema de contraste dinâmico nessas TVs que permite a exibição de imagens de altíssima qualidade, que realmente fazem diferença na hora de ver TV – desde que o conteúdo seja gravado em tal tecnologia, obviamente.hdr tv 4k vale a penaMais uma tecnologia que precisa ser analisada na hora de escolher sua TV 4K, o RGB

Outro ponto que pesa contra quem comprou as primeiras TVs 4K é o tipo de painel que seu televisor possui, se ele é RGBW ou apenas RGB.

O RGBW é encontrado em grande parte de TVs 4K mais baratas, sendo que basicamente a sigla representa Red (Vermelho), Green (Verde), Blue (Azul) e o intruso White (Branco).

E por que a presença da cor branca no painel é algo negativo? Simplesmente pelo fato de que TVs 4K baratas, mesmo trazendo a quantidade prometida de 4 vezes mais pixels para formar a imagem, usam os pontos brancos para completar as cores e aumentar o brilho.

A presença do branco no meio das outras 3 cores básicas que formam todas as demais, só compensa o brilho da imagem, em troca prejudicando a fidelidade das demais cores.

Considera-se que uma imagem que apresenta os subpixels brancos é capaz de apresentar apenas 60% da fidelidade de cores da imagem real, e um painel mais novo, RGB, chega a 95% de fidelidade.

LEDs, OLEDs e agora pontos quânticos

Assim como ocorreu com as TVs Full HD, as tecnologia de lâmpadas que fornecem luz para a formação das imagens evoluiu com o passar dos anos.

Nas TVs 4K tivemos diversos modelos lançados com painéis em LED (e ainda existem e são mais baratos) e modelos de “luxo” com painéis OLED.

Antes de falar do terceiro tipo, precisamos esclarecer que na comparação direta o LED e OLED possuem pontos positivos e negativos quando comparados, não sendo a preferência absoluta pelo segundo tipo, como pode parecer.

A maior deficiência de uma TV LED é com certeza aquela cena de filme que possui a cor preta predominante. Dificilmente um painel LED conseguirá exibir algo que realmente seja preto, mesmo que alguns modelos cheguem muito perto disso. Ao invés do preto a cor exibida é no máximo um cinza bem escuro.

Já no OLED, os pontos que precisam transmitir a cor preta simplesmente são desligados! É isso mesmo, cada micro lâmpada de LED consegue ser desligada individualmente, exibido o preto mais preciso possível, que é a ausência total de cor e luz na tela.

Mas como dissemos, o OLED também tem uma diferença pesada em relação ao LED: as cores e o branco. Para filmes a tecnologia é ótima, pois na maioria predominam os tons de sépia e dificilmente haverá cenas com um branco muito intenso. Mas se você usar a TV para jogar videogames ou executar programas de computador, notará que o branco é um tando quanto amarelado, e as cores não são tão intensas quanto o LED.

O OLED tem a vantagem de economizar bastante luz elétrica em relação ao LED e poder ser usada nas belas TVs com telas curvas.

TV OLED Curva tem 75% do seu preço reduzido, confira aqui

tv 4k com pontos quanticos
Samsung apresenta uma de suas TVs 4K com pontos quânticos.

As TVs 4K com pontos quânticos

Deixamos a tecnologia mais recente (e cara) para um tópico especial.

Ela existe desde a década de 80, mas só retornou à tona em televisores em 2013 (e agora também está presente no smartphone LG G4).

Sem entrar nos aspectos técnicos envolvidos, focaremos nas vantagens da tecnologia em uma TV 4K: maior fidelidade de cores que o LED (e muito mais que OLED), mais contraste que garante a cor preta melhor que a vista nos displays LED (mas não tão perfeita quanto no OLED), brilho de maior intensidade e maior economia de energia, pois não há retroiluminação do painel.

Em resumo, é a tecnologia mais equilibrada que temos hoje em uma televisão, mas ainda é presente apenas em aparelho top cujo custo benefício dificilmente valerá a pena no curto prazo.

Muito cedo para comprar um TV 4K? Japão já testa seus modelos e transmissões em 8K

TV 4K precisa ser Smart na maioria dos casos

É muito difícil encontrar uma TV 4K que não possua conexão nativa com a internet (por cabo ou WI-fi) além é claro de um sistema de aplicativos, que dá nome as Smart TVs.

Como a maior parte do conteúdo 4K está disponível na internet, você é obrigado a considerar que terá que ter uma boa plataforma Smart para não passar raiva com sua TV (ou então apenas usar a TV como um monitor, controlando ela com um notebook ou computador pessoal).

Pois bem, para quem já teve uma Smart TV barata, deve ter reparado que um sistema smart precário traz muito mais raiva do que alegrias para quem utiliza: baixo número de aplicativos compatíveis, ausência de atualizações, lentidão nos comandos, travamentos, dificuldade em usar o controle da TV… os problemas podem ser inúmeros, e precisam ser evitados.

tv 4k Sony com Android TV
Na imagem vemos um dos modelos da SONY que apresenta o sistema Android TV. No geral, o sistema todo se parece com a grade de filmes e séries do Netflix.

Como escolher a melhor plataforma Smart TV

Hoje as TVs evoluíram muito, apresentando memória RAM e processadores dignos de computadores de qualidade. Tudo isso tem um preço obviamente, mas que muitas vezes precisa ser pago para garantir uma experiência decente com sua nova TV.

Agora existem plataformas avançadas para Smart TVs, como é o caso da Android TV, muito parecida com a vista em celulares e Chromebooks, e que vem evoluindo à passos largos. Atualmente é usada pelas TVs 4K da SONY.

Outra plataforma de confiança e em constante atualização é a Firefox OS, usada pelas TVs 4K da Panasonic, sendo muito parecida com a Android TV, a qual é concorrente direta.

Além das duas opções mais avançadas citadas, temos as nativas das marcas Samsung (que se chama Tizen) e da LG (chamada de WebOs). Ambas já apresentaram experiências muito negativas no passado, com todos os problemas citados anteriormente.

Mas como tudo evolui, nas TVs 4K mais caras e com alto poder de processamento, ambas são muito elogiadas pelas fluidez e facilidade no uso. Como são as marcas que  mais vendem televisores no mundo atualmente, a compatibilidade com os principais aplicativos é imensa.

Não deixe de testar pessoalmente o sistema Smart de cada TV antes da compra, pois fará toda a diferença. Não esqueça ainda de testar se a TV executa vídeos em 4K no Youtube nativo, garantindo assim a presença do Codec VP9 que mencionamos.

Concluindo

Em breve traremos uma matéria aprofundando no conteúdo que já existe em 4K e nas promessas para a tecnologia. Enquanto isso, recomendamos que você leia um pouco sobre o recursos de Upscaling, em um especial que publicamos aqui.

Através do Upscaling de qualidade, uma TV 4K pode melhorar significativamente a qualidade do conteúdo de baixa resolução que já existe, incentivando a compra do novo modelo.

Não deixem de conferir nossa nova série sobre tecnologia aqui do eXorbeo, que trará toda semana novas matérias sobre o assunto. Até mais!

COMPARTILHE