7 erros fatais (e comuns) na hora de comprar uma TV

1
3874

Hoje temos computadores, smartphones, tablets e diversos outros aparelhos disputando nossa atenção, mas a TV continua sendo o centro de entretenimento de nossas casas. Mas convenhamos, investir em uma boa TV não sai barato.

Listamos 7 erros que infelizmente são cometidos frequentemente na hora de comprar uma nova TV. Como todos já passamos por isso, sabemos que não há nada pior do que gastar aquela nota e depois se arrepender. Por isso é importante saber muito bem qual modelo escolher.

1. Errar no tamanho da TV

TV Pequena

Esse é o arrependimento mais comum após comprar uma TV. De acordo com diversos especialistas, a reclamação mais recorrente após a compra de uma TV é não ter escolhido uma suficientemente grande.

É simples entender a razão: quando você está acostumado com uma TV de 32 polegadas, por exemplo, inicialmente uma de 40 parecerá bem grande. Mas depois de uma semana de uso, ela se torna o normal e você percebe que poderia ter escolhido uma maior.

O pior desse erro é lembrar que aquele modelo maior não era tão mais caro que o escolhido. Mas agora é tarde de mais e corrigir esse erro significa comprar uma TV nova.

2. Se deixar levar por funcionalidades bobas ou nomes bonitos

É óbvio que as marcas querem vender o máximo e com a maior margem de lucro possível. Isso em si não é algo negativo, mas algumas estratégias sim. Infelizmente é uma prática corriqueira a marca usar um de seus modelos existentes e o vender como mais moderna apenas com uma ou outra função diferente com nome bonito.

A Função Futebol talvez seja o melhor exemplo de todos. Sabendo que a Copa do Mundo estava chegando e milhões de brasileiros querendo uma nova TV para assistir os jogos com qualidade de imagem maior, inventaram essa tal função.

A verdade é que qualquer TV moderna, tenha ela a Função Futebol ou não, consegue ficar com a imagem e som daquela forma, basta ajustar as configurações. Ou seja, não caia na ladainha das marcas e/ou vendedores. É claro que isso não significa que todas as funções são dispensáveis, mas muitas delas sim.

3 – Achar que o Smart da SmarTV é a oitava maravilha do mundo

Tudo está se tornando “inteligente”. Hoje temos até “geladeiras inteligentes”. Com a TV certamente não seria diferente. A diferença entre as SmarTVs e as tradicionais é a sua conectividade com a internet e as funções nativas para assistir Netflix, Youtube, etc.

Como a diferença de preço entre uma Smart e uma tradicional não é mais tão grande, geralmente se aconselha comprar a Smart. Porém, para depois não se arrepender, é importante considerar 2 pontos:

as funções Smarts das SmartTVs são famosas por serem lentas. Com exceção de alguns modelos, as interfaces das TVs modernas são lentas. Abrir um aplicativo como o YouTube, por exemplo, pode demorar um tempo considerável. O mesmo com pesquisar um vídeo ou pular de um para outro. Isso sem falar das recorrentes “travadas”. Escolher uma porque possui processador quad-core provavelmente não ajudará. Lembra o que acabamos de falar sobre nomes bonitos?

se você não possuir uma conexão de internet boa o suficiente, não poderá tirar o proveito máximo de sua SmarTV. Não que você não poderá assistir vídeos no YouTube ou usar o Netflix, mas talvez não na qualidade toda que sua nova TV pode proporcionar. Um vídeo em Full HD (1080p) precisa de uma conexão mais potente do que requer um vídeo em 720p. De que adianta ter uma ótima TV se vai assistir algo com qualidade de VHS?

Isso nos leva ao próximo erro comum na hora de escolher uma TV.

4. Não prestar atenção na resolução da TV

Resoluções de TV

HD, Full HD, Ultra HD, 720i, 720p, 1080i, 1080p ou 4K?!?! Com tantas resoluções de imagem diferentes, é difícil saber o que cada um significa ou qual escolher. As diferenças exatas entre elas são um tanto técnicas então não vamos entrar em detalhes aqui.

Mas como via de regra, quanto maior os números, melhor. 4096×2304 (4K) > 1920×1080 (Full HD) > 1280×720 (HD).

“Então devo comprar uma TV 4K?”. Não necessariamente. Ainda não existe muito conteúdo em resolução 4K. Temos alguns filmes e series no Netflix e alguns vídeos no YouTube, mas só. E mesmo assim precisará de uma bela conexão de internet para aguentar transmissão em 4K. De acordo com a página de suporte do Netflix, para assistir algo em 4K é necessário de uma conexão estável de 25Mbps ou mais.

Até o Blu-Ray é “apenas” em 1920×1080 (Full HD). E pode ter certeza que ainda vão demorar vários anos antes que algum canal passe a ser transmitido em 4K.

Ou seja, não gaste dinheiro (e não é pouco) à toa em uma TV 4K. Caso você tenha um uso específico que tirará proveito desta resolução, ótimo. Caso contrário, simplesmente não há motivo.

5. Comprar no impulso (também conhecido como cair na pressão do vendedor)

Não é super chato entrar em uma loja para dar uma olhada antes de decidir qualquer coisa e já ter um vendedor no seu pé? Caso o vendedor realmente saiba do que está falando, isso pode ser positivo, mas raramente é o caso. Não é culpa deles, que possuem salários base baixos e dependem de comissões. Mas você certamente não deveria se prejudicar por isso.

Os vendedores sempre usam aquelas funções que são feitas só pra chamar atenção, mas não servem de muita coisa conforme explicamos, para conseguir realizar a venda. Além disso, em 99% dos casos você encontrará uma oferta bem melhor pelo mesmo modelo de TV na internet.

6. Não prestar atenção na quantidade de entradas

entradas comprar uma nova tv

É importante considerar quantas entradas na TV você irá utilizar. Uma TV por Assinatura ocupa uma HDMI, um player Blu-Ray outra, um console de vídeogame outra e quando vemos, está faltando entrada.

Isso não significa que você não poderá usar todos seus aparelhos, mas quem sofre com isso sabe o quão irritante é ter que ficar desconectando um cabo e conectando outro cada vez que vai usar. Sempre preste muita atenção nas ficha de especificações antes de comprar uma TV.

7. Não fazer uma pesquisa detalhada sobre a TV, preços e modelos disponíveis

Como acabamos de ver, escolher uma TV não é fácil. São milhares de modelos disponíveis e uma infinidade de pontos a se considerar. Para não cair em uma cilada, é recomendado fazer uma ótima pesquisa na internet, entendendo muito bem o que cada detalhe da TV significa, fazer os cálculos para escolher o melhor tamanho, saber quais modelos estão valendo mais a pena e claro, as melhores ofertas.

Ou então você pode pedir recomendações em sites como o Decidiu, onde receberá sugestões de quem entende do assunto com as melhores ofertas no momento para os modelos sugeridos. É rápido e grátis. Porém, é importante detalhar corretamente o seu caso. Por exemplo, a qual distância o sofá ficará da TV e qual seu orçamento.

Evitando esses 7 erros na hora de comprar uma TV você certamente não se arrependerá depois de gastar seu dinheiro.

COMPARTILHE
  • Roniere

    TV Smart não é a oitava maravilha do mundo, mas é quase isso… kkkkkkkkk